MANIFESTO

Lisboa acordou. E, com isso, o mundo acordou para Lisboa. Hoje somos uma cidade otimista, irrequieta, a fervilhar de oportunidades, com uma oportunidade única de voltar a fazer história.

Mas uma história onde caibam todos.

Não há cidades sem problemas para resolver, não há soluções novas sem diferentes pontos de vista. A cidade com que sonhamos precisa de equilíbrio, de discussão, de sinergias. De mais energia gasta a encontrar soluções que à procura de problemas.

Para ser tudo o que pode ser, Lisboa precisa dos residentes e dos visitantes, da juventude e da experiência, dos artesãos e dos novos artistas, do fado e do kuduro, dos criativos e dos conservadores, dos trabalhadores e dos empresários, dos motoristas e dos passageiros, dos satisfeitos e dos críticos, dos senhorios e dos inquilinos, dos digitais e dos analógicos, das startups e do comércio tradicional, dos madrugadores e dos noctívagos, dos desportistas e dos sedentários, das famílias tradicionais e das novas famílias, dos realistas e dos sonhadores.

Hoje, mais do que nunca, Lisboa precisa de todos.